Header image  
  GURTEQ - Ensaios Não Destrutivos   TECNOLOGIA POLIRAIDER


 

POLIRAIDER: A TECNOLOGIA

POLIRAIDER – tecnologia para análise de autenticidade e recuperação dos dados das marcações primárias adulteradas em superfícies metálicas e de ligas. Emprega método eletroquímico e baseia-se no efeito de variação das propriedades da estrutura cristalina das superfícies metálicas e de ligas sujeitas a ação mecânica, eletro-mecânica e térmica.

TECNOLOGIA  POLIRAIDER É PROTEGIDA PELA PATENTE (PI 0402693-4, RPI Nº 2275, 12.08.2014)

POLIRAIDER: INDICAÇÕES PARA USO
  • Identificação das adulterações em marcações gravadas em superfícies metálicas (ligas)
  • Recuperação dos dados da marcação primária adulterada
  • Confirmação da localização dos cordões de solda
POLIRAIDER: CARACTERÍSTICAS DO MÉTODO
  • Necessita a retirada do revestimento da superfície analisada
  • Utiliza reagente não tóxico e não agressivo
  • Tempo para realização da análise: de 3 - 10 min
  • Consumo médio do líquido-indicador para identificação da presença do cordão de solda e adulteração em marcação: 2.000 ml para 100 veículos
POLIRAIDER VERSUS ATAQUE QUÍMICO

Atualmente pelos Institutos de Criminalística no Brasil, quando na análise de autenticidade das marcações em superfícies metálicas e de ligas, é usado o método cristalográfico (chamado também de “ataque químico”).

O método de ataque químico é caracterizado pelo uso das substâncias tóxicas (reagentes como Hatcher, Bessemans e Haemers, FRY I e FRAY II, WAZAU, etc.), tendo como base da sua composição os ácidos. O procedimento consiste em aplicação de reagentes com propósito de deixar o local examinado de “molho” por algum tempo e posterior análise dos resultados de ação dos reagentes na superfície do local analisado. As normas de trabalho exigem utilização das luvas e de respirador. Para controlar o resultado de revelação é necessário interromper periodicamente o processo para avaliação visual dos resultados. Caso a revelação não pode ser visualizada, a aplicação de reagente se repete. É recomendável começar o procedimento com aplicação das reagentes com potencial de reação mais fraca passando depois para reagentes mais fortes, ou seja, com maior concentração de ácido. A aplicação do calor é aconselhada para agilizar o processo. O contato do reagente com demais partes do automóvel é indesejável, pois pode levá-los a estragos. Dependendo do tipo da adulteração e do material da superfície analisada, o ataque químico pode levar horas e em várias situações não apresenta o resultado desejado. O processo é de alto grau destrutivo, ou seja, danifica a marcação analisada e em maioria dos casos acaba com sua integridade.

Em comparação com método de ataque químico, a tecnologias POLIRIADER se destaca pelos seguintes fatos:

  • Reagente utilizado é não tóxico e não ofensivo para saúde humana, não exige condições especiais para seu armazenamento e uso
  • O método não danifica a superfície analisada, ou seja, a marcação examinada continua intacta
  • Utiliza-se reagente único independente do tipo e do grau da adulteração analisada
  • A duração do processo de análise (revelação da numeração primária adulterada ou dos indícios da adulteração, se for o caso) não ultrapassa 5 min
  • Procedimento de análise (grau de revelação) é controlável durante todo processo de aplicação em tempo real sem interromper o mesmo
  • Procedimento pode ser interrompido imediatamente, reiniciado ou reaplicado em qualquer instante
  • O procedimento de aplicação prevê dosagem exata do reagente aplicado (aproximadamente de 20 ml para cada análise), sem seu desperdício desnecessário
  • O reagente, caso entre ocasionalmente em contato com demais partes do automóvel, não danifica a pintura, partes de plástico, borracha, etc.
  • Simplicidade, do ponto de vista técnico, do processo de aplicação do método
  • Não necessita preparação especial e/ou experiência individual para aplicação do método
  • Conjunto dos equipamentos para aplicação do método é compacto, leve e portátil, permitindo seu deslocamento, montagem e desmontagem facilitada e trabalho in loco (em condições de campo)

A tecnologia POLIRAIDER aplicada para análise de autenticidade e recuperação dos dados das marcações primárias adulteradas em superfícies metálicas e de ligas supera o método de ataque químico pelas suas características oferecendo ganho em tempo necessário para análise, eficiência e qualidade da análise, condições de trabalho e facilidade da sua aplicação.

EXEMPLOS: CHASSI E MOTORES

Toyota 4-Runner, ano 1992. Marcação do chassi adulterado: JT111VND009098708. Dígitos falsos <9 8 7><8>, dígitos originais <1 7 4><7>. Marcação recuperada do chassi: JT111VND009017407





Volkswagen Passat, ano 2000. Marcação do chassi adulterado: WVWZZZ3BZYP106855. Dígitos falsos <1 0> <6855>, dígitos originais <3 6> <4118>. Marcação recuperada do chassi: WVWZZZ3BZYP364118





Volkswagen Passat, ano 1991. Marcação do chassi adulterado: WVWZZZ31ZME173066. Dígitos falsos <7>, <0 6 6>, dígitos originais <1>, <9 8 9>. Marcação recuperada do chassi: WVWZZZ31ZME113989



  


Recuperação dos dados da marcação de motor. Marcação falsa: ADZ 0..., marcação original: ABS 3... Visualização das áreas afetadas pela ação térmica local aplicada durante adulteração da marcação do VIN



Visualização das áreas afetadas pela ação térmica local aplicada durante adulteração da marcação do VIN

EXEMPLO: ARMAS

Recuperação da numeração serial de um revolver

ESTATÍSTICA SOBRE APLICAÇÃO PRÁTICA DA TECNOLOGIA

Primeiros resultados práticos da utilização da tecnologia POLIRAIDER no trabalho oficial dos peritos da Seção de Identificação Pericial e Judiciária do Instituto de Criminalística do Paraná:

  • Resultados positivos de identificação – 93 %. Os casos, onde a tecnologia não obteve resultado, correspondem às situações tecnicamente irrecuperáveis por quaisquer dos métodos atualmente conhecidos;
  • Recuperação total da numeração primaria adulterada e identificação do veículo– 90 %, recuperação parcial – 10 %;
  • Tempo de aplicação para obter os resultados da revelação - inferior a 5 minutos em 60 % dos casos analisados e menos de 10 minutos para os 40 % restantes.

Durante o trabalho pericial, foram analisados veículos de passeio, motos, camionetes e caminhões. Além da eficiência e superioridade em comparação com o uso de métodos destrutivos aplicando-se o Fry, comprovou-se a praticidade da tecnologia POLIRAIDER.

Neste sentido, a equipe de criminalistas da Seção de Identificação Pericial e Judiciária, representada por Luiz Domingos Molinari (Chefe da Seção), Rosângela Ribeiro, Valdemiro Tolotti e Romeu Biscouto, relata que a tecnologia POLIRAIDER:

  • Foi eficiente em todas as vezes que foi utilizada;
  • Revela numeração primária de forma nítida e bem legível;
  • Não requer qualquer tipo de cuidado na sua aplicação;
  • Não é tóxico e não é ofensivo à saúde humana;
  • É simples, prático e de fácil aplicação.
TABELA: POLIRAIDER X MAGRAIDER
Ver tabela: POLIRAIDER X MAGRAIDER

CONTATOS: